Blog Luis Machado

Notícias

ANDRÉ DE PAULA é o Segundo Vice-Presidênte da Câmara dos Deputados

André de Paula será candidato a prefeito do Recife em 2020 - Portal de  Prefeitura

Após ter passado pela liderança de seu partido, na Câmara, o presidente do PSD, em Pernambuco, deputado André de Paula volta agora com amplas possibilidades de compor a cúpula da Câmara dos Deputados, ocupando a segunda vice-presidência da Casa.

Está praticamente fechada a composição da Mesa que será votada nesta quarta-feira, cuja composição foi alterada (André já era tido como segundo vice-presidente), logo após a eleição do presidente Arthur Lira (PP) de Alagoas. Com o adiamento para hoje, da votação dos cargos, surgiram mais dois candidatos à segunda vice-presidência. Por conta disso, André de Paula, comedido como é do seu estilo, questionado pelo Blog Luís Machado, limitou-se a dizer que, agora é apenas um dos candidatos. Mas, nos bastidores comenta-se que seu nome já é tido como certo, vez que já tem passagem pela mesma Mesa e goza de enorme prestígio, angariado nestes seis mandatos de deputado federal. Em sendo assim, a Mesa só tem a ganhar, já que trata-se de exímio articulador, qualificado, portanto, especialmente para estes tempos de efervescência política, em Brasília.

Os líderes de bancada da Câmara dos Deputados chegaram a um acordo sobre os cargos que cada sigla ocupará na Mesa Diretora da Casa. Faltava um acerto entre PSB e PSDB, alcançado no início da noite.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), minutos depois de eleito anulou o bloco que seu adversário na eleição, Baleia Rossi (MDB-SP), havia aglutinado. O efeito prático dessa decisão era que dos 7 cargos titulares da Mesa (incluindo a presidência), 6 estariam com partidos do grupo de Lira.

Com o acordo os cargos devem ficar com os seguintes partidos. O Poder360 grifou os aliados de Lira:

  • 1ª Vice-Presidência – PL – Marcelo Ramos (AM) deve ocupar o cargo;
  • 2ª Vice-Presidência – PSD – André de Paula (PE) deve ocupar o cargo, mas Delegado Éder Mauro (PA) e Júlio Cesar (PI) também se candidataram;
  • 1ª Secretaria – PSL – Luciano Bivar (PE) deve ocupar o cargo, mas Léo Motta (MG) também se candidatou;
  • 2ª Secretaria – PT – Marília Arraes (PE) era o nome do PT até esta tarde, mas Paulo Guedes (MG) e João Daniel (SE) também se candidataram;
  • 3ª Secretaria – PSDB – Rose Modesto (MS) deve ocupar o cargo, mas poderá haver disputa com Júlio Delgado (PSB-MG), que disputa como avulso. Delgado poderá ter a candidatura indeferida por não ser do PSDB, partido contemplado pelo acordo;
  • 4ª Secretaria – Republicanos – Rosângela Gomes (RJ) deve ocupar o cargo.

As 4 suplências devem ficar com PDT, DEM, PSC e PSB. A Câmara divulgou um documento com as candidaturas. Leia a íntegra (16 Kb).

PSB e PSDB disputaram a 3ª Secretaria. Pelo acordo, os tucanos ficaram com o posto. Mas haverá divisão informal dos assessores que podem ser nomeados pelos ocupantes desses cargos. Os tucanos cederão 11 dos 33 disponíveis na 3ª Secretaria e ficarão com 22. O PSB terá esses 11 e mais os 11 da suplência, totalizando também 22.

Nessa configuração, Lira tem mais aliados entre os titulares do que teria sem indeferir o bloco de Baleia Rossi. Naquela situação eram 3 “liristas” e 3 “baleístas” entre os titulares.

Mas são menos do que poderiam ser no cenário descrito por técnicos legislativos ao Poder360: se fosse computado só o bloco de Lira contra os demais partidos, 5 dos 6 titulares seriam aliados do pepista. Apenas o PT, maior bancada da Casa, conseguiria um cargo de titular fora do bloco.

Os deputados tinham até 20h desta 3ª feira para fechar acordo e registrar as candidaturas para os cargos. O prazo acabou prorrogado para 20h30. Só podem se candidatar integrantes do bloco ao qual cabe determinado posto, segundo o combinado. A eleição está marcada para hoje, 4ª feira (3), às 10h.

Com subsídios de Caio Spechoto – Poder360.

Rapidíssimas

  • Prefeitos em Brasília – Uma das perguntas mais recorrentes, desta terça-feira (02), por parte de alguns leitores foi: ‘O que foram fazer tantos prefeitos, neste fim de semana, em Brasília? Bem, os gabinetes dos parlamentares estavam todos fechados, sem falar que, na segunda, estavam todos focados na eleição da Câmara e do Senado. Disseram muitos deles que foram “atrás de recursos”. Será mesmo?

  • Senador Jarbas Vasconcelos está vivo – Até que enfim, falaram no nome dele. Disseram que não foi a Brasília, por causa de recomendação médica. Em suas redes sociais, Jarbas disse que estava com ameaça de gripe. Bem, como ele é de risco, foi melhor mesmo ficar em casa. Até porque lá… Bem, lá as máscaras só foram lembradas até a proclamação do resultado. Depois disso a euforia foi tamanha que… Foi aquela farra.

  • Máscaras pra quem te quer – Como sempre dizem os parentes de Zé Faísca, ‘tem pai que é cego’. Pois não é que, no primeiro discurso de posse do novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), fez ele defesa enfática das medidas protetivas contra o coronavíros! Só que, na festa que deu para 300 convidados, horas depois, não se viu quase ninguém de máscaras. Tinha até ministro de Bolsonaro abraçando o eleito, sem o devido uso da indumentária na cara. Eu, héin!

  • Raquel Lyra e Miguel Coelho, lá – Não é só o prefeito Anderson Ferreira (PL) de Jaboatão que foi a Brasília tirar uma foto com Arthur Lira. Também Raquel Lyra e Miguel Coelho, ambos de Caruaru e Petrolina, respectivamente, estiveram lá. Se foram ‘buscar verbas’ eu não sei. Só sei que em Pernambuco, candidato a governador que menos corre, voa!

  • E Rodrigo Pacheco? – Se para um bom entendedor, uma palavra basta, eu já sei que o novo presidente do Senado não vai ser outro Davi Alcolumbre pra Bolsonaro, não. Se entendi bem, o sujeito chega com pinta de independência, mesmo. Ou será que só será na primeira semana de gestão dele.

  • Marília Arraes, pê da vida – Para quem já festejava a condição de primeira secretária da Câmara dos Deputados e meia hora depois viu tudo o sonho virar pesadelo, não foi fácil. Disse que a atitude de Lira, em não reconhecer a composição outrora montada por Maia foi golpe. Também… Minha gente, a prima de João Campos iria administrar nada menos que R$ 6 bilhões por ano. Este é o orçamento da Câmara. Pense no poder que a quase prefeita do Recife iria ter!…

  • Quem vai mandar no Brasil? – A pergunta é que analistas mais antenados fazem: Quem vai mandar no Brasil daqui até 2022 Bolsonaro ou o Centrão (leia-se Arthur Lira). Bem, desde o final da década de 1980 presidente da República só faz o que eles querem. Quem não quis, se deu mal. Lembram de Fernando Collor? e da Dilma, alguém está lembrado? Claro que sim, né?

  • Armando Monteiro já começa a aparecer – Após Senado e Câmara eleger seus líderes, o agora Conselheiro Emérito da poderosa Confederação Nacional da Indústria (CNI) e ex-senador, Armando Monteiro Neto, alertou (em palestra dada aos ricaços da Avenida Paulista) que, o Brasil precisa conciliar o esforço da vacinação em massa, e a continuidade da assistência aos brasileiros que ficaram sem renda, com a necessidade de recuperação da economia brasileira. Armando é mais prestigiado lá fora, do que em Pernambuco.

Comento, argumento. Só não invento!

WhatsApp do editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá