Blog Luis Machado

Notícias

Assim como foi na pandemia, da tragédia do RS muitos sairão piores

Assim como foi na pandemia, da tragédia do RS muitos sairão piores

Assim como foi na pandemia, da tragédia do RS muitos sairão piores

Assim como foi na pandemia, da tragédia do RS muitos sairão piores

No auge da pandemia do Covid-19, comentava-se acerca das consequências que muitos iriam sofrer e houve quem dissesse: “Depois da pandemia ou se sairá melhor ou se sairá pior”.

Para boa parcela dos brasileiros, a maioria saiu pior, a começar pelas atitudes negacionistas de alguns que, sem pudor sem índole, entendem até hoje que, não importam os meios, mas os fins. Não importa se o resultado de seus atos são prejudiciais ou não, contanto que suas vontades prevaleçam sobre os contrários.

Exemplo disso são as desinformações (as chamadas fake news) suscitadas também agora, na tragédia pela qual estão os rio-grandenses a passar. Tanto é que o Supremo Tribunal Federal já trabalha, visando processar e punir os autores de tão nefasta e covarde atitude, cometida por quem não tem o menor senso de solidariedade.

Como se não bastasse, é como se tudo estivesse na mais perfeita normalidade, para que os assaltos e saques a residências fossem agora como sempre foram, em prejuízo das pessoas de bem.

Quando a irracionalidade vem de pessoas do povo, a revolta é grande. Mas quando parte de pessoas públicas que deveriam zelar pela ética e pelos bons princípios, aí a repulsa assume contornos de indignação enfurecida. Não é porque quem governa o Brasil não me representa, que posso achar que, se estava ruim, agora se torne ‘chão de terra arrasada’.

Tem políticos e apaniguados torcendo o nariz, pelo fato de que, bem ou mal, o governo federal tem agido, em favor do povo gaúcho. Basta ser imparcial e isento das paixões políticas (que insistem para nos aparelhar) para chegar-se à conclusão de que o Governo Lula não tem sido omisso, nesta questão. Aliás, nem poderia, evidentemente.

Neste momento, não há espaço para mesquinhez e mediocridade. Muito pelo contrário. Se há um espaço nobre, quanto a isso, será para que nos demos as mãos. Afinal, o que está em jogo é a dor e o sofrimento; é a vida ou a morte de semelhantes nossos. Quem pensa e age fora disso, não passa de abutre da pior espécie. Isso é fato e contra fatos, não há argumentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes