Blog Luis Machado

Notícias

Blog Luís Machado – Coluna da sexta

fachada-do-predio-da-petrobras-no-rio-de-janeiro-1397237848116_956x500 -  Toda Bahia

Banco suíço UBS diz que houve exagero dos críticos do Governo e recomenda comprar ações da Petrobras

*Por Fernando Rodrigues – Poder360.

O banco suíço UBS divulgou comunicado para os investidores nessa 2ª feira (22.fev.2021) com uma recomendação: compre papéis da Petrobras. Segundo o banco, o mercado teve uma reação “exagerada” ao “fluxo recente de notícias”. Eis a íntegra da análise do UBS (344 KB). O presidente Jair Bolsonaro anunciou na última 6ª feira (19.fev) que trocaria Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna no comando da estatal. Ao longo daquele dia, a Petrobras perdeu R$ 28,2 bilhões em valor de mercado. Nessa 2ª (22.fev), foram R$ 76,2 bilhões.

As ações ordinárias da estatal caíram 20,48% na 2ª feira (22.fev). Foi a maior queda desde 13 de março de 2020, quando recuou 21,08%. As preferenciais recuaram 21,51% na 2ª feira (22.fev) –o pior desempenho desde 9 de março do ano passado (-29,70%). “Achamos que esse desempenho é descomedido e uma reação exagerada ao fluxo de notícias recentes”, avalia o banco.

O UBS disse que vê a Petrobras “muito próxima da paridade na importação de combustível” e “mais protegida de uma perspectiva de governança do que antes”. “Acreditamos que ‘assombrações do passado’ estão afetando as percepções dos investidores”, lê-se no comunicado. “Mas a estrutura regulatória atual da Petrobras é muito diferente em comparação com há 5 a 10 anos”, argumentou o banco.

O UBS citou também a “reação imediata da CVM [Comissão de Valores Mobiliários]”. A CVM abriu um processo administrativo no sábado (20.fev) para apurar questões referentes aos acontecimentos mais recentes envolvendo a Petrobras. De acordo com a análise do banco, existem 3 pontos que podem eventualmente ser prejudiciais à recomendação apresentada no comunicado:

  1. forte alta dos preços do petróleo e da taxa de câmbio;
  2. uma mudança na estratégia do plano de desinvestimento;
  3. o acionista principal, o governo federal, forçar a Petrobras a subsidiar os preços dos combustíveis.

Com relação ao 1º ponto, o banco disse não acreditar que o cenário atual possa causar impactos anualizados significativos. Sobre o item 2, o UBS disse que não tem conhecimento, até agora, de novas conversas sobre a questão. Ao falar sobre o último ponto, o banco afirmou que se fia no estatuto da Petrobras e nas leis brasileiras.

A lei federal e os estatutos das empresas mais fortes sugerem que possíveis mudanças que possam prejudicar os interesses de uma companhia e das minorias são um desafio hoje, com um custo político potencialmente mais alto [do que no passado]”, disse o UBS.

Segundo o banco, a “reunião do conselho que analisará o pedido de destituição do sr. Castello Branco como membro do conselho e CEO e a contagem dos votos dos integrantes do conselho será um marco importante”. O conselho de administração da Petrobras ainda precisa analisar a troca. O mandato de Castello Branco termina em 20 de março.

Análise

Fechamento de prédio da Petrobras em Macaé (RJ) afetará 1,7 | Cidades

O Brasil pode estar passando por uma espécie de “bolha de histeria”. O mercado pode ter entrado nessa situação por convicção, por desinformação ou pelos 2 motivos. O fato a ser ressaltado é que não houve intervenção na Petrobras. O mandato de Roberto Castello Branco estava para terminar agora, em 20 de março. O acionista majoritário anunciou que não vai renovar. Isso é perfeitamente normal.

“Ah, mas a forma como Bolsonaro anunciou foi ruim, pois o presidente dava a impressão de que iria ele próprio definir as políticas internas da Petrobras”. Bom, esse comentário é de quem ainda não entende, depois de 2 anos da administração federal atual, a diferença entre “forma” e “conteúdo” de Bolsonaro.

O que deseja o Palácio do Planalto? Simples: quer a Petrobras respeitando a composição dos preços dos combustíveis de acordo com o mercado internacional, mas com mais transparência e previsibilidade. Esse tipo de modelo de atuação é perfeitamente exequível, mas obviamente a estatal ficará numa situação mais vulnerável diante dos importadores (que vão se preparar melhor para o jogo). OK. Mas esse é o preço que o acionista majoritário, o governo federal, precisa pagar. Afinal, a Petrobras é uma estatal e não uma empresa privada.

Petrobras homenageará militares com batismo de plataformas de petróleo -  Folha PE

Mais previsibilidade ajudará a conter movimentos caóticos como foi a greve dos caminhoneiros de 2018. O custo estimado daqueles 10 dias de paralisação para a economia passou de 1% do PIB. Como comparação, basta lembrar que o novo auxílio emergencial para 40 milhões de brasileiros vai equivaler a menos de 0,5% do PIB.

O ponto principal que será olhado pelo mercado agora é se a Petrobras vai seguir no seu plano de desinvestimentos, saindo do setor de refino. Todos os sinais do governo são de que não haverá mudança de rota nessa política.

A ideia é que a Petrobras em alguns anos esteja fazendo apenas aquilo para o que foi criada: explorar petróleo (teve um momento em que a estatal fabricava até fios têxteis). Esse será o momento em que a empresa poderá ser formatada para eventual privatização. Falar em vender a Petrobras hoje é heresia dentro do governo. Mas essa continua sendo a meta do ministro da Economia, Paulo Guedes, ainda que tudo tenha de ficar para uma próxima administração. 

Rapidíssimas

  • Pernambuco é André de Paula e Gilson Machado – Não é exagero dizer que, neste momento, em se tratando de Brasília, não se tem notícia de que haja gabinetes mais frequentados do que os do segundo vice-presidente da Câmara, deputado federal André de Paula (PSD) e do ministro do Turismo, Gilson Machado. Sorte nossa! Basta dizer que, até o prefeito do Recife, João Campos (PSB) desembarcou por lá, nessas últimas horas. É que ninguém quer perder a chance de abocanhar uma emenda parlamentar. Afinal, cada deputado tem na manga, mais de R$ 20 milhões anuais para jogar aonde renda mais.
  • Humberto está livre – Não obteve a repercussão que ele esperava, mas teve. Afinal, depois de tantos anos, ser absolvido pelo Supremo Tribunal Federal, acerca de acusação a ele feita, deixou o Senador Humberto Costa (PT) aliviado.
  • Uber e 99 farão mesmo greve? – É o que tem se comentado. Alegando falta de condições para rodar – diante do congelamento nos valores de tarifas e promoções -, motoristas dos citados aplicativos se organizam para deflagrar greve nacional nos próximos dias. Não acredito muito nisso não, mas, se houver… usuários sentirão falta. Disso tenha certeza.
  • Adeildo da Igreja, será ou não presidente, até 2024? – Isso é tudo o que o prefeito Anderson Ferreira (PL) de Jaboatão dos Guararapes não quer ouvir falar. Ora, na quebra de braço entre a Câmara de Vereadores e o Prefeito, resultou que não se votará, a reeleição antecipada (biênio 2023/2024) de Adeildo, atualmente no cargo. Pura bobagem de Anderson. Afinal, se os 20 vereadores quiserem votar, ano que vem, não será o prefeito que vai brigar com eles. A menos que queira atirar no pé, sendo pretenso candidato ao Governo do Estado. Vamos ver!…

Comento, argumento. Só não invento!

WhatsApp do editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá