Blog Luis Machado

Notícias

Blog Luís Machado – Quarta-feira 2a Edição.

Ex de Sérgio Guerra diz que família Brennand abandonou seu filho.

Por Por Houldine Nascimento e Magno Martins

MEU DEUS!.. O que é issooo !!!!… Essa é mais uma daquelas raras histórias de briga por herança, que sangra e enoja qualquer pessoa de bem. Parece que quanto mais dinheiro, mais ganância existe. É preciso que a defesa desse filho menor do ex-senador seja muito forte, que aja com os dois pés! Estou estarrecido com a falta de respeito à memória de Sérgio Guerra, por parte da própria família e da genitora do Serginho. Odeio injustiça. Uma causa dessas eu (como Advogado que sou) agiria como um cão raivoso e enfurecido, em busca de justiça, em prol de um inocente que não pediu pra vir ao mundo. E não se venha dizer que o menor já receberia uma gorda pensão. Não. O que ele precisa receber é o que, por direito e justiça lhe é devido. Ponto. Vejamos a matéria publicada pelos colegas acima citados:

“Três dias após este blog homenagear o ex-senador Sérgio Guerra, lembrando o sétimo aniversário da sua morte, a revelação de um bastidor explosivo: Geórgia Tomaz, mãe de Sérgio Tomaz Guerra, o Serginho, de apenas 14 anos, filho caçula do ex-líder tucano, fruto de uma relação amorosa de 12 anos passada em cartório, revela, com exclusividade, que luta na Justiça, desde a morte do pai do seu filho, para que ele tenha direito justo e digno como herdeiro na partilha de bens deixados por herança.

E não são poucos. Rico, genro do artista plástico Francisco Brennand, já falecido também, Sérgio Guerra construiu em 66 anos de vida um patrimônio sólido e invejável no Brasil e no Exterior, que vão de bens que variam de uma penca de imóveis a fazenda de bois, carneiros e cavalos de raça até uma das maiores coleções de artes plásticas do País, com quadros assinados por famosos e avaliados em mais de R$ 10 milhões.

A briga de Geórgia em favor do filho se trava contra a primeira mulher de Sérgio Guerra, a empresária bem-sucedida e socialite Neném Brennand, com quem o ex-senador rompeu a relação conjugal sem nunca ocorrer de fato o divórcio. Geórgia acusa Neném de apropriação indébita até da pensão de Sérgio Guerra, no valor de mais de R$ 30 mil. “Ela conseguiu documentos fraudulentos, como o pagamento dos funerais de Sérgio, feito por Caio Melo, o faz tudo do falecido, para se apropriar de 50% do valor da pensão que, legalmente, seria de Serginho”, diz.

A mãe do garoto afirma que sua luta se trava com uma família poderosa e influente, que, segundo ela, recorre a todo tipo de expediente para não deixar tramitar, na Quinta Vara de Sucessões e Registros Públicos da Capital, sua ação em cima do processo de inventário do ex-senador daquilo que seu filho, como herdeiro legal, tem direito, mas que é negado pela empresária e seus filhos, Helena, Elisa e Chico. “Até agora, meu filho só teve direito a 50% da pensão do pai e ao imóvel que moramos, mais nada”, atesta Geórgia.

Segundo ela, mesmo com o processo do inventário parado, os filhos do primeiro casamento do ex-senador se apropriam de forma ilegal dos bens e até se desfazem deles. Geórgia acusa a filha Helena, que mora em São Paulo, de ter alterado ilegalmente o sufixo da fazenda Pedra Verde, em Limoeiro, para vender mais de 80 bois e cavalos de raça a peso de ouro. “Ela usou a assinatura eletrônica do pai para mudar o sufixo de fazenda da Pedra Verde para Pedra Verde SG”, revela.

“Tudo que foi sonhado por Sérgio Guerra, principalmente a ideia de que os irmãos sempre estariam ao lado e protegeriam o menor, não aconteceu. Pelo contrário, o processo segue em meio a procedimentos de prestação de contas, bens sonegados, isto incluindo animais, terras, imóveis, valores e obras de arte”, desabafa. De acordo com Geórgia, Serginho foi isolado da família, proibido até de botar os pés na fazenda, sem qualquer contato ou recebimento dos frutos do pai.

Os 50% abocanhados da pensão de Serginho, segundo Geórgia, se deram por Neném mediante um processo interno da Câmara dos Deputados, já que a morte do pai ocorreu quando havia voltado à Câmara depois de oito anos como senador. “Além de separada há mais de dez anos de Sérgio quando do seu falecimento, Neném é rica, quotista de inúmeras empresas de elevado faturamento. Não precisava, portanto, fraudar documentos para se apropriar da pensão do filho caçula do ex-senador”, acrescenta.

Mais revelações bombásticas

Geórgia Tomaz diz, ainda, que enquanto o seu filho menor está abandonado pela família, sem gozar do mesmo conforto dos demais herdeiros, os filhos de Neném vivem no luxo. Cita, por exemplo, o caso de Elisa, que mora hoje nos Estados Unidos ocupando um imóvel do pai que está na partilha dos bens.

“Viajei com Sérgio inúmeras vezes pra lá, quase todos os feriados, a cada três meses. Até porque ele sempre me dizia que precisava ir ao banco procurar alguém para resolver questões financeiras nos Estados Unidos, em uma agência próxima ao apartamento, que fica em condomínio luxuoso em Key Biscayne. Elisa se apropriou do apartamento rapidamente, provavelmente transferiram o imóvel para não dar tempo de entrar no inventário, na partilha. Depois que resolveu, ela se mudou para lá”, ressalta.

Ainda conforme aponta a ex-mulher de Sérgio Guerra, entraves ocorreram em outros imóveis, que também teriam ficado fora do inventário. “A casa de Praia em Nova Cruz (Igarassu) e o terreno ao lado que Sérgio comprou depois da casa estar pronta. Ele desejava ampliar, dando acesso ao terreno e criar um mega cinema, pois amava filmes e UFC (lutas). Sem contar que sempre preservou o conforto e lá em Nova Cruz nós conseguíamos ficar longe de política. Ele se desligava, muitas vezes nem informava que estava indo para lá, era o refúgio dele”, afirma Geórgia.

Ela diz que o filho Serginho foi excluído pelos irmãos de uma procuração relacionada à casa ainda na noite em que morreu o ex-presidente do PSDB. “Eles estavam de luto e sofrendo muito, quando procuraram o antigo proprietário da casa para fazer uma procuração para os três filhos mais velhos, excluindo Serginho e eu. Elisa dizia para mim que eu não estava com Sérgio na época da compra do terreno, o que não é verdade. Fui olhar a casa com ele vários domingos antes da compra. Lá, Sérgio recebeu muitos políticos amigos e uma vez ofereceu um almoço a Jarbas”, atesta.

Os filhos mais velhos de Sérgio Guerra venderam a casa por R$ 5 milhões a um empresário com atuação na Angola, de acordo com Geórgia, que afirma ter tomado conhecimento da negociação por meio de um integrante da família. “Aconteceu um desentendimento entre eles e uma pessoa da família me procurou e contou tudo”, assegura.

“Lancha e obras de arte foram subtraídas”, diz Geórgia.

Outro bem alvo de disputa seria uma lancha chamada inicialmente de Pedra Verde. A ex-mulher de Guerra afirma que o nome foi alterado para que a embarcação pudesse ser comercializada. Ela vai além ao declarar que obras de arte foram subtraídas do apartamento em que vivia o líder tucano. “As peças foram retiradas pela madrugada do apartamento em Piedade, depenaram tudo, até as coisas de Serginho e nunca devolveram. Desviaram para não entrar na partilha”, relata.

Geórgia responsabiliza os filhos mais velhos do ex-senador pela queda no padrão de vida de Serginho: “Meu filho tinha um padrão de vida nível A e foi o único a empobrecer, não recebe sequer um aluguel da parte que cabe ao quinhão dele. Eles tomaram até o carro que o motorista usava para levar Serginho ao colégio tomaram do meu filho.”

Ela soube que Chico, o único filho homem do primeiro casamento de Sérgio, criou uma holding e comprou recentemente um imóvel na Europa. Geórgia Tomaz põe em xeque a legalidade dos recursos. “Será que estes bens são declarados no imposto de renda? Qual é a origem de tanto dinheiro para se comprar um apartamento em Londres? O inventário não tinha sido concluído e Chico vivia de renda de aluguel de campo de futebol society”, reclama.

“Elisa e Helena compraram uma rede de franquias chamada Kid+Ride. Como justifica enriquecimento dos filhos mais velhos? Muito estranho aJustiça não observar o que estão fazendo com uma criança inocente e que é irmão, herdeiro legítimo. Meu filho nem tem direto de usufruir a pensão integral”, desabafa.

Filha mais velha de Sérgio Guerra diz que Geórgia “mente muito”.

Procurada pela reportagem, Neném Brennand não quis se pronunciar. Localizada em São Paulo, a filha Helena Guerra Brennand disse que a Justiça já negou todos os recursos impetrados por Geórgia ao processo da partilha de bens do seu pai e que a família não vai ficar batendo boca nem se expondo em público com a mãe de Serginho, que, segundo ela, é uma chantagista. “Ela não vai ganhar nada fazendo chantagem. Estamos cansados disso. Ela mente muito. A partilha não foi feita ainda simplesmente porque os bens do meu pai estão bloqueados pela Justiça”, alega.

Segundo ela, Geórgia perdeu a ação de reposição integral da pensão, mas não apresentou as provas. Quanto às queixas de que Serginho está abandonado, Helena disse que, tão logo o pai morreu, sua família tentou fazer um acordo com Geórgia, mas encontrou dificuldades. “Tentamos ajudar Serginho no que fosse possível, mas não conseguimos”, disse.

Helena afirmou, por fim, que Geórgia tem um histórico de tirar vantagem nas relações conjugais. “O caso do meu pai não é o único. Quando papai morreu, ela estava grávida já de outra relação que tem até processo de reconhecimento da filha por DNA”, observou.

Geórgia rebate filha do ex-presidente do PSDB.

Ao ser procurada novamente pela reportagem para comentar as declarações dadas por Helena, Geórgia Tomaz diz que já esperava essa reação e sobe o tom ao declarar que os filhos do primeiro casamento do ex-senador Sérgio Guerra são “criminosos que roubaram e ludibriaram bens do inventário para não dividir com o próprio irmão”. “Quem conviveu com Sérgio Guerra sabia o quanto era inteligente. Ele não teria vivido comigo 12 anos de sua vida nem reconhecido publicamente nossa relação, deixando documento assinado e esclarecendo para todos que a pensão seria 100% do nosso filho, que, alcançando a maioridade, passaria para mim, a genitora”, continua.

Geórgia cobra respeito da família Brennand: “Eles precisam me respeitar, pois sou a mãe do irmão caçula deles. A própria Helena insiste em dizer que tentou ajudá-lo e o expulsou da fazenda Pedra Verde, da qual é ele herdeiro, e proibiu sua entrada. Hoje sou questionada pelo próprio Serginho, que diz que é filho igual aos outros, mas não pode usufruir da mesma forma que eles.”

“Com relação ao segundo relacionamento, eu e Sergio nos desentendemos, como todo casal. Eu insistia que ele deveria cuidar da saúde, pois tinha um filho pequeno. Por não me ouvir, demos um tempo. Eu estava bem vulnerável e, numa aventura, o cara que conheci se aproximou de mim, já sabendo quem eu era. Nós nos envolvemos e engravidei. Contei para Sérgio, que continuou vindo em minha casa e me ajudou. Entrei na Justiça orientada por Sérgio para que minha filha fosse registrada, o que aconteceu. O pai convive com ela”, conclui Geórgia.”

______________________________________________________________________________

Comento, argumento, só não invento!

WhatsApp do editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá