Blog Luis Machado

BLOG LUÍS MACHADO. Recife terá dois vereadores a menos a partir de 2025

Censo 2022 do IBGE apontou redução no número de habitantes da capital. Lei Orgânica do Município estipula 37 vagas para o atual quantitativo populacional

  • O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou ontem (28) o resultado do Censo 2022. De acordo com o levantamento, Pernambuco passou a ter uma população estimada em 9.058.155 habitantes, enquanto o Recife apresentou uma queda de 3,2% em relação ao estudo de 2010, tendo saído de 1.537.704 para 1.488.920 moradores. A diminuição implica, entre outras coisas, na diminuição no número de assentos na Câmara Municipal a partir de 2025. As informações são do Diario de Pernambuco.

Isso porque a Lei Orgânica do Recife declara que, quando a população da cidade for de 1.350.000 até 1.500.000 habitantes, a representação no Legislativo deve ser de até 37 parlamentares. Hoje, a Casa de José Mariano abriga 39 vereadores.

Ao Diairo de Pernambuco, a cientista Priscila Lapa explicou como o levantamento vai interferir na disputa municipal do próximo ano. “É a partir do Censo que se define os cálculos de proporcionalidade no tamanho de bancadas e dos recursos e vagas dos sistemas representativos. Todas as vezes em que se altera o cálculo populacional provoca-se um efeito cascata no sistema de políticas públicas, pois tem a ver com lógica da distribuição de recursos e, também, das regras eleitorais”, disse.

Ainda segundo a cientista política, a mudança não fica restrita ao Legislativo municipal. “Toda regra eleitoral tem como base a população e o número de eleitores. Isso implica não apenas nas Câmaras Municipais, mas nas Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional”, acrescentou.

Priscila destacou que a aplicação da lei é automática, mas é necessário que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) normatize as mudanças. E observou que a redução de 39 para 37 vagas na Câmara do Recife vai causar impactos não apenas na fiscalização do Executivo e elaboração de leis, mas nas estruturas partidárias. “Isso pode impactar nas estratégias dos partidos, porque interfere na quantidade de candidaturas que cada sigla poderá ter, assim como o número de assentos na Casa”, finalizou a cientista

*Comento, argumento. Só não invento!

__________________________________

Contatos do editor do Blog:

WhatsApp: (81) 98732.5244.

Facebook: Luís Machado.

Instagram: @Luís Machado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá