Blog Luis Machado

Clarissa Tércio tem futuro em Jaboatão dos Guararapes?

Tem-se noticiado, em Jaboatão dos Guararapes que a deputada federal Clarissa Tércio – criticada por nunca ter atravessado emendas parlamentares para o Município e só agora prometeu fazê-lo, em função de sua pré-candidatura a prefeita – esteve no Hospital Geral do Município, na manhã da última sexta-feira e de lá saiu prometendo emenda parlamentar, na casa dos R$ 1,3 milhão.

A atitude da deputada só vem reforçar o que todos já sabemos: A problema da descrença na política e nos políticos é culpa dos próprios políticos e por quê? A resposta é simples. Via de regra, eles só aparecem mesmo, em época de eleição. Corroborando esta assertiva, cabe uma pergunta: Essa senhora (ao que ouvimos dizer, trata-se de uma pessoa de bom trato e dona de certo carisma, atributos importantes, numa disputa pelo voto do eleitor) não poderia ter agido como agiu, antes de apresentar-se como pré-candidata?

Ora, se para ser eleita, Clarissa Tércio (PP) vai precisar enfrentar concorrentes poderosos, qual a razão de assim agir tão amadoristicamente, no modus operandi de trabalhar seu projeto político?

Sabe a citada deputada que, apesar de ter sido bem votada, em Jaboatão, em 2022, agora a peleja será outra e completamente diferente, a começar pelos nomes já colocados na “bolsa de apostas” sobre quem chegará na frente: Se o atual prefeito Mano Medeiros, que detém a máquina na mão ou se o desafiante ex-prefeito Elias Gomes, detentor de dois mandatos consecutivos e que já desponta como forte candidato das esquerdas, no Município.

Na verdade, a justificativa é a seguinte: Clarissa foi eleita com votação além das próprias expectativas, o que para ela seriam credenciais para apresentar-se como candidata a prefeita. Se ganhar, ótimo! Se não ganhar, ainda assim não terá nada a perder, vez que barganhará secretarias (numa eventual aliança com Mano Medeiros, tido como nome certo, no segundo turno que deverá acontecer. De quebra, ficará com o nome consolidado em Jaboatão, para 2026, visando renovar seu mandato à Câmara dos Deputados.

Isso é uma possibilidade e ‘tudo ok, muito bem’. E quanto aos meios para ser eleita ou ao menos ser bem votada, nessa perspectiva de quem chega, “caindo de paraquedas”, quase de última hora? A justificativa para uma questão como essas, de alta indagação, reside no fato de que, parte do nicho evangélico (habitat também de Clarissa) não é suficiente para elegê-la. O olhar enviesado de quem faz opinião, para ela certamente se voltará.

Portanto e, pelo andar da carruagem, o projeto da pré-candidata progressista (leia-se de Eduardo da Fonte, para se cacifar candidato ao Senado, em 2026), passa por uma estratégia que, se não vence nem convence, pelo menos trará ingrediente para o cardápio sucessório do ano que vem. Mas que, levar somente agora emenda parlamentar, quando já se lançou candidata, só depõe contra a própria Clarissa Tércio. Mas, como o dinheiro não é dela (é do contribuinte) tanto faz, se por ele não vierem os votos. Em suma, a pergunta está posta: Tem ela futuro, em Jaboatão? Se tem ou não tem, o que conta mesmo é se, com a prometida emenda parlamentar, as benfeitorias no referido hospital acontecerão. Tomara que sim!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá