Blog Luis Machado

Notícias

Depois de tanto puxa-encolhe, sairá a Escola de Sargentos

Depois de tanto puxa-encolhe, sairá a Escola de Sargentos

Depois de tanto puxa-encolhe, sairá a Escola de Sargentos

Depois de tanto puxa-encolhe, sairá a Escola de Sargentos

Projeto da Escola de Sargentos em Pernambuco reduziu pela metade área a ser desmatada, diz comandante do Exército

O Exército anunciou que diminuiu pela metade a área a ser desmatada para a instalação da Escola de Sargentos que será construída no Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC), em Aldeia, no município de Paudalho, na Zona da Mata de Pernambuco (veja vídeo acima). A obra terá um investimento total de R$ 1,7 bilhão e tem gerado um debate por conta da conservação de uma área de mata atlântica na região.

Em entrevista coletiva na quarta-feira (17), no Recife, o general Joarez Alves Pereira Júnior, comandante militar do Nordeste e diretor do projeto da escola, disse que o terreno tem, ao todo, 7.549 hectares, mas o planejamento da unidade prevê a ocupação de 180 hectares.

O presidente Lula chega nesta quinta (18) a Pernambuco, onde cumpre agenda na retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca, e na sexta (19) participa da cerimônia de transmissão de cargo do Comando Militar do Nordeste (CMNE) e da assinatura do termo de compromisso para construção da Escola de Sargentos.

“Fomos trabalhando como poderíamos reduzir. Trabalhamos em parceria com o governo para ver o que poderia ser colocada em área desapropriada. Chegamos a um número perto de 90 hectares onde necessitamos suprimir a vegetação”, explicou o general.

Na prática, o Exército mexeu na localização da vila militar para adequar as sugestões da sociedade civil e reduzir a área de mata atlântica a ser desmatada. Segundo o general, 6,2 mil pessoas vão residir na área da escola – que contará com uma base de suporte localizada no Recife, incluindo questões de saúde, hospitalar, depósito de suprimentos e familiar.

O general Pereira Júnior disse que foram aceitas alterações “até o limite em que não desvirtua o projeto”. Ele detalhou que a formação de sargentos do Exército ocorre em 16 diferentes locais no país, enquanto a dos oficiais é centralizada no município de Resende, no Rio de Janeiro.

“A efetividade da formação é muito melhor quando consigo centralizar num local que atenda a necessidade da escola. Um grande limitador era a necessidade de um campo de instrução para aplicar o que é aprendido em teoria. (…) Um tiro de artilharia não se realiza em qualquer local. Realizamos as condicionantes levantando todos os aspectos e a região selecionada foi aqui, um campo que já é campo de instrução do exército. Já tem destinação militar desde sua criação”, explicou o general Joarez Alves Pereira Júnior.

De acordo com o militar, a região onde está prevista a construção da escola fica dentro de uma Área de Preservação Ambiental (APA) criada “graças à permanência do Exército”.

“A área efetivamente preservada é a do campo de instrução. É menos de 1% do campo. Em mais de 99% não haverá alteração nenhuma; 7,5 mil hectares. Há uma sensibilidade ambiental que o Exército tem trabalhado com muito cuidado. Temos a consciência da importância disso. Trabalhamos para que ele [o projeto] se tornasse o que é hoje. Queremos adaptar, compensando com ações efetivas para que não haja perda ambiental naquela região”, complementou.

De acordo com o comandante militar do Nordeste, a unidade de formação militar será a maior escola do Exército e “uma das maiores de formação de sargentos do mundo”.

“O Exército está trazendo um centro de excelência para o Nordeste. Direcionou muito para o Sul e o Sudeste do país e hoje trazemos para o Nordeste. Vai gerar ganhos socioeconômicos volumosos. Nosso foco é atender a uma necessidade da força, mas traz naturalmente esse ganho”, finalizou.

Ambientalistas protestaram

Em frente ao local onde aconteceu a entrevista coletiva, representantes do Fórum Socioambiental de Aldeia fizeram um protesto contra o projeto. Eles estavam dentro do prédio, mas foram retirados antes das falas sobre a escola de sargentos.

Segundo Joyce Santana, da Juventude Indígena de Pernambuco, a redução da área desmatada para 90 hectares não é suficiente.

“Estamos num momento em que a gente não pode matar absolutamente nada. A gente está vendo um projeto que pode vir a ser o maior desmatamento do nosso estado no século 21. A gente tem fragmentos de mata atlântica. […Eles falam de compensação. E é importante a gente falar que não existe compensação para a mata atlântica. A gente vai esperar 40 anos para uma árvore crescer”, afirmou.

Histórico do projeto da Escola de Sargentos

Anunciada em 2021, a Escola de Sargentos será construída no Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC), no município de Paudalho, na Zona da Mata de Pernambuco (relembre abaixo como se deu a escolha de Pernambuco para sediar a unidade). De acordo com o Exército, a obra terá um investimento total de R$ 1,8 bilhão.

A nova escola militar

  • Unidade de ensino vai centralizar a formação dos sargentos de carreira, que ocorre em estabelecimentos de ensino militar localizados em diferentes guarnições do Exército no país;
  • A nova escola deve ocupar uma área de 75 mil metros quadrados e vai ter campo de tiro, vila militar e vila olímpica, com 24 edifícios totalizando 576 apartamentos;
  • O investimento é de R$ 1,8 bilhão, sendo R$ 320 milhões de contrapartida do governo do estado para construir estradas e obras de infraestrutura no entorno da vila militar;
  • A previsão do Departamento de Educação e Cultura do Exército é de que a construção da escola comece em dois anos e seja finalizada em dez anos;
  • Quando a escola estiver pronta, devem ser realizadas, por ano, 2,4 mil formaturas de sargentos de carreira no local, que terá capacidade para receber até 6 mil pessoas estudando e trabalhando.

  • *Fontes: Sites diversos c/foto divulgação.

2 thoughts on “Depois de tanto puxa-encolhe, sairá a Escola de Sargentos

  • Milton

    Em tempos que o planeta da seu recado como desastres climáticos , os militares , Lula.Raquel Lyra demonstram desprezo com a questão ambiental ..aterrar a nascente de um rio que abastece a barragem de Botafogo é o maior dos crimes e ainda 200 mil árvores…e Lula que prega desmatamento zero na COP? Horror ..

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes