Blog Luis Machado

Notícias

Prefeita de Bezerros justifica shows milionários

Prefeita de Bezerros justifica shows milionários

Prefeita de Bezerros justifica shows milionários

Prefeita de Bezerros justifica shows milionários

A jovem prefeita Lucielle Laurentino, de Bezerros se enrola em perguntas da Rádio Jornal

  • Ela é dinâmica e, quando pega um microfone, fala com desenvoltura, a ponto de impressionar a quem a escuta. Exemplo disso ocorreu, na manhã desta quarta-feira, quando questionada pelo jornalista Fernando Castilho, membro da bancada passando à limpo, da Rádio Jornal.

Respondeu a prefeita às perguntas e uma delas, foi feita pelo citado jornalista que, dentro do contexto da crise pela qual passam as prefeituras – por conta da redução dos valores atinentes ao FPM, aos municípios brasileiros – perguntou à Lucielle, como explicaria o fato de que, malgrado à histórica falta de dinheiro, prefeitos acham-se no direito de pagarem cachês a artistas famosos, que chegam às cifras de R$ 500, R$ 600 Mil Reais.

A prefeita, como quem decorou a cartilha dos demais colegas, disse que, em princípio, ‘isso é inviável’ se os recursos são utilizados pelos cofres municipais. Mas que, por outro lado, se justificam, se considerados o lado cultural de épocas – São João, Carnaval, etc, etc, etc… e trouxe ela o velho discurso de que os ‘investimentos’ trazem retorno e forma de emprego e renda sazonais…

Ora, convenhamos! Se isso fosse mesmo verdade, então porque Garanhuns, Petrolina e Caruaru – para citar apenas três exemplos – fazem coro em relação à aludida redução do Fundo de Participação dos Municípios?

O que se sabe é que, tem havido decisões judiciais, Brasil afora, proibindo tais contratações, sob os fundamentos de que uma pequena cidade de cerca de 20 mil habitantes, por exemplo, não pode justificar a contratação de cachês tão elevados, sem que haja manifesto prejuízo aos munícipes.

Portanto e, como se vê, a conta chegou e a farra com o dinheiro público é apenas a ponta do iciberg. Se houvesse espírito republicano de quem executa e de quem fiscaliza, a crise não seria desse tamanho, já que os repasses do FPM dariam para custear as despesas da máquina e disso não se tenha dúvida. Existe uma Lei de Responsabilidade Fiscal, mas até esta é taxada de instrumento de engessamento dos gestores. Não falta quem queira revogá-la.

A crise não existe? Então façam-se um apanhado, para ver quanto os senhores prefeitos gastaram de janeiro de 2021 até agora, só com viagens, estadias, diárias (isso sem falar no excesso de cargos comissionados e outras benesses), para ver se os valores não seriam infinitamente inferiores aos apresentados, por eles!

Nem é preciso ser muito honesto. Bastaria serem menos desonestos e ousados, no trato da coisa pública, em geral. Creio que se todos eles rezassem na Cartilha do ex-prefeito de Colatina-ES, Sérgio Meneguelli, que foi considerado o melhor prefeito do Brasil, a situação do Brasil seria outra.

Comento, argumento. Só não invento!

Compartilhe a matéria e faça opinião!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes