Prefeito Anderson Ferreira joga pesado e Câmara mudará resolução que antecipa eleições da presidência

Anderson Ferreira filia 15 vereadores ao PL e conquista maioria na Câmara  de Jaboatão

É inegável que, ao leitor do blog Luís Machado há uma sensação de que, ou sua editoria teria espião secreto nos bastidores do poder, em Jaboatão ou que teria o dom de antecipar-se aos fatos ocorridos, especialmente nos últimos dias, em Jaboatão dos Guararapes. Claro que, obviamente, nem uma coisa nem outra. Apenas trilhamos o caminho do óbvio e nem é tão difícil vislumbrar o “modus operandi” da cena política, na Terra da Batalha dos Guararapes.

Como sabem, discorreu o blog, em detalhes, nas edições de 27 e 29 de janeiro (semana passada), acerca do cenário político da cidade, concernente a uma Resolução da Câmara de Vereadores, que vem preconizando eleições da presidência, de forma antecipada, desde 2017, a qual, por tabela, faz conexão direta com os planos do Prefeito Anderson Ferreira (PL), que, quer lançar-se candidato ao Governo do Estado, sem riscos de perder o controle hegemônico, do processo político de Jaboatão.

Ora, diante do “link” apresentado, o qual direcionou para um aparente “distanciamento” entre o Prefeito e o presidente da Câmara, antecipamos que, Anderson agiria como um raio, para desmantelar, “cortando pela raiz” qualquer possibilidade de que o intento de Adeildo se concretizasse. Não deu outra.

É como se o Prefeito tivesse detido-se em observar especialmente os dois últimos parágrafos da matéria publicada pelo Blog, na última sexta-feira(29). Sim, porque na conversa que tiveram, o mesmo abriu o jogo e foi direto ao ponto, no quesito “CC ou cargos comissionados”. Compreende a situação de cada um dos vereadores. Só que, aos insatisfeitos, os casos serão analisados conforme a realidade de cada um e nunca de forma unânime, para todos. Detalhe: Anderson Ferreira foi firme. Verdadeira águia, ele conta nos dedos de apenas uma das mãos, os vereadores que poderiam esboçar espírito de independência, se é que isso seja posspivel.

Obviamente não quer cometer o “erro” de prefeitos anteriores, cujo tratamento era, via de regra, dado a todos. O que dava pra um, dava para todos. Ainda que houvesse alguém fora da base do Governo. Tudo pelo princípio da isonomia e de “corpo”. Bem, isso dignificava a Câmara. Afinal, assim como o Executivo é uno, o Parlamento também o é. No passado não muito recente, a Câmara era teoricamente mais prestigiada pelo prefeito. A situação, neste aspecto, mudou a partir do prefeito Elias Gomes que, dava-se ao luxo de sequer atender vereador, em seu gabinete, salvo algumas exceções e, ainda assim, esporadicamente. Essa queixa era recorrente.

Anderson Ferreira fala em unir forças pelo bem de Jaboatão dos Guararapes |  Vereador Marlus Costa

Pois muito bem. Diante da sintomática atitude dos “aliados” do Prefeito, a pergunta é:

  • Se Adeildo e companhia estavam mesmo certos da aludida votação e, sabendo que a reação do Chefe do Executivo seria iminente, por quê não pediram ao Prefeito que esperasse pra conversarem só após reunirem-se eles vereadores e daí ratificarem ou não a ideia?
  • O que estão esperando Adeildo da Igreja e seu Grupo, para assegurar a este a presidência, no biênio 2023/2024?
  • Irão os vereadores insatisfeitos passar um cheque em branco ao prefeito, deliberando em jogar a votação pra eleição da presidência só em dezembro de 2022, sem o compromisso do prefeito em atender a cota igual de nomeações de cada um, ou irão eles compreender que o prefeito pouco poderá fazer, já que tem compromissos com a imensa base aliada que o elegeu, no primeiro turno?
  • Já teria o prefeito pressionado pela deliberação, nas próximas horas, a fim de que essa aparente ideia “nati-morta” do Grupo de Adeildo, seja votada só em dezembro de 2022? Ou será que o prefeito não terá problema em ficar em “stand bye”, com uma resolução, em aberto, na Câmara, com o risco de ser surpreendido a qualquer momento, pelo fogo amigo? Bem, se Anderson assim agir, estará dando a primeira senha de que jamais será governador de Pernambuco. Lá não há lugar para amadores.

Ora, é sempre bom lembrar da célebre frase do velho banqueiro e político mineiro, Magalhães Pinto: “política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou.” Nunca se sabe!…

Comento, argumento. Só não invento!

WhatsApp do Editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Deixe um comentário

Posts Recentes