Blog Luis Machado

Notícias

PREFEITO JOÃO CAMPOS JÁ ESTÁ NA MIRA DO TRIBUNAL DE CONTAS

Na tentativa de impulsionar João Campos, Geraldo Julio promete 1.500  inaugurações no Recife - Portal de Prefeitura
Da esquerda para a direita, ex-prefeito Geraldo Júlio e o prefeito atual, João Campos.

Está difícil para alguns políticos entenderem que, ser chefe do Executivo, Municipal, Estadual ou Federal, não significa ser dono daquilo que o mesmo administra. Precisa agir com transparência, conforme os princípios da Administração Pública. Exemplo claro disso, vai o leitor do blog constatar, a seguir, por conta de uma denúncia feita pela deputada estadual, Priscila Krause (DEM), a qual foi acatada pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE -, mediante representação formalizada pelo Ministério Público de Contas, como se vê a seguir, na íntegra:

“O conselheiro Carlos Porto expediu medida cautelar suspendendo o efeito de oito decretos assinados pelo prefeito Geraldo Julio nos últimos dias de gestão. O documento é destinado ao novo prefeito, João Campos, que até o momento não se posicionou sobre as compras. Os pagamentos ocorreriam na sua administração. A decisão do TCE atende à representação interna do procurador dr. Cristiano Pimentel, do Ministério Público de Contas de Pernambuco. As matérias tratavam da desapropriação de nove prédios e dois terrenos que compõem, junto com a aquisição de galpão no Cabo de Santo Agostinho, uma das mais nebulosas transações imobiliárias do poder público da história de Pernambuco.O pacote realizado sem transparência no fechar das cortinas da gestão Geraldo Julio envolve valores que se aproximam de R$ 50 milhões. A falta de clareza e de disponibilização de documentos, inclusive, não nos permite saber os valores das desapropriações de parte deles, especificamente situados na Av. João de Barros, Boa Vista. O TCE alegou, entre outras coisas, que as compras ferem recomendação do próprio Tribunal, para que as gestões públicas não realizem, durante esse período de calamidade pública, despesas que possam ser adiáveis.”

Ora, a pergunta a fazer é: Precisaria mesmo o novo prefeito da Cidade do Recife, João Campos (PSB), esperar pela representação do Ministério Público e mais: Será que isso não bastava, para evitar a que o TCE expedisse medida cautelar, suspendendo os efeitos do decreto do prefeito Geraldo Júlio, acerca dessa bendita transação imobiliária? Isso enseja a chance que o novo gestor da Capital mostre a que veio, se quer mesmo mostrar que idade não quer dizer nada e o que importa é saber tocar a máquina pública, conforme preconizou ao longo de toda a campanha eleitoral. O fato é que, convenhamos! É muito cedo para o prefeito está na mira do Tribunal de Contas.

Comento, argumento. Só não invento!

WhatsApp do editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá