Blog Luis Machado

Notícias

Prêmio na área de saúde é contestado em Jaboatão

Prêmio na área de saúde é contestado em Jaboatão

Prêmio na área de saúde é contestado em Jaboatão

Prêmio na área de saúde é contestado em Jaboatão

Está repercutindo muito negativamente, a publicação feita neste Blog e em outros sites, acerca do prêmio internacional vencido por Jaboatão dos Guararapes, cujo reconhecimento vem da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

Em suas razões expositivas, disse a matéria de responsabilidade da Assessoria da Prefeitura do Município que, as ações (ensejadoras do aludido prêmio) são voltadas para pessoas em situação de rua, uso abusivo de drogas, profissionais do sexo e outras pessoas em situação de vulnerabilidade. Foi dito ainda que, são realizadas atualizações vacinais; entrega de analgésicos e antitérmicos para possíveis efeitos colaterais; distribuição de água mineral, lanches, preservativos e lubrificantes; acolhimento e sensibilização para adesão aos serviços; realização de pré-cadastro para Cadúnico e confecção de cartão SUS.

Leitores do Blog Luís Machado têm se dirigido à nossa Editoria com esmerado inconformismo – como foi o caso, por exemplo, de Aparecida Andrade e de Marcos Araújo – , na medida em que, segundo eles, “não há, em Jaboatão dos Guararapes e jamais houve ação do poder público, junto a pessoas vulneráveis (de rua) em nível de excelência tão significativo, que possa justificar uma premiação dessa natureza”.

Ainda fundamentam suas contestações, no fato de que a premiação vem da OPAS, instituição de reputação “chamuscada”, por intermediar oferta de mão de obra de viéis escravagista, como foi o caso do “Programa Mais Médicos”, feito nos Governos anteriores de Lula e Dilma. Médicos cubanos recebem, via OPAS, cerca de apenas 20% do salário. Cerca de 80% vão dos países onde atua, para o Governo de Cuba.

Bem, o fato é que, se há ou não há mérito da Prefeitura, em ter conquistado a a referida honrara, não nos cabe analisar esse aspecto. Mas, apesar dessa nossa postura, temos que, não é razoável possa se imaginar que tenha havido a referida premiação, sem alguma assistência ao contingente de pessoas vulneráveis, em Jaboatão dos Guararapes. Até prova em contrário, temos que, muito ou pouco, houve ações assistenciais, nesse aspecto.

Todavia, há um aspecto que , sobre o qual nos parece oportuno considerar e trazer à reflexão, às pessoas que, de forma imparcial e isenta, possam e queiram debruçar-se.

Pois bem. Sendo notório que, não apenas Jaboatão, mas praticamente o País inteiro convivem historicamente com um cenário precário, no campo da saúde e, considerando que trata-se esse assunto como dos mais sensíveis a qualquer Administração, é no mínimo sintomático, veicular uma publicação de conotação triunfalista, como essas, especialmente num período pré-eleitoral (faltam menos de 12 meses para a próxima campanha para prefeitos e vereadores – quando os adversários só querem um pé, desqualificar quem está no poder, especialmente sobre quem busca renovar o mandato, como é o caso do prefeito Mano Medeiros, de Jaboatão dos Guararapes.

Longe de nós, querer adentrar ao aspecto meritocrático da aludida premiação, até porque o povo, em sua maioria sabe quando há ou não há coerência, entre o discurso e a prática nas ações administrativas de Jaboatão. Sabe (ao que nos chega diariamente), que o atual gestor está quebrando paradigmas e se esforçando para deixar sua marca de bom administrador, a começar pelo jeito estilo povão, no corpo a corpo, com a população. Isso sem falar nas ações estruturais de repercussão social, naquele que é um dos municípios mais problemáticos e complexos de Pernambuco.

Portanto, a pergunta é: A divulgação da premiação na área de saúde, em Jaboatão, ajuda ou atrapalha politicamente o prefeito Mano Medeiros? Com a resposta, sua excelência, o eleitor.

2 thoughts on “Prêmio na área de saúde é contestado em Jaboatão

  • Marcos Brito

    Óbvio que atrapalha, pois não condiz com a realidade que aqueles que estão na ponta, não são comtemplados que o devido cuidado que a atenção primária da saúde municipal deveria ter por seus munícipes. O reaparelhamento e a requalificação do sistema urge para ontem, para poder se falar em o cuidar humanizado das pessoas.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes