Blog Luis Machado

Será que Adeildo da Igreja dorme hoje?

Todos viram a tentativa que o presidente da Câmara de Vereadores do Jaboatão dos Guararapes,, Adeildo da Igreja (PL) fez, para tentar se cacifar a pré-candidato a prefeito do Jaboatão dos Guararapes, cujo “projeto” não passou de um autêntico monstrendo natimorto (que já nasceu morto), e que, ao se dá conta de que estava dando um tiro no pé, desistiu ele do intento, conforme detalhou os motivos, na entrevista que deu a este Blog Luís Machado, em março deste ano.

Na citada entrevista disse ele, dentre outras coisas que, “Por mais experiente que seja o político, nunca está ele livre de cometer certas falhas ou equívocos e disso todo mundo sabe. Até porque somos falhos. Além do mais, é normal que, quando se chega a um certo momento, você sonha em dá voos mais altos e começa a ouvir vozes de pessoas que estão ao seu redor e imagina que essas pessoas tinham o firme propósito de começar e terminar de percorrer esse ou aquele outro caminho…”

Adeildo estava certo, ao menos em alguns aspectos, embora noutros, sua atitude, naquele momento tenha sido interpretada por alguns de seus pares, na Câmara, como desastrosa e isso foi dito ao Blog, por vereadores que pediram anonimato, para não melindrá-lo, evidentemente.

Pois “eis que de repente” Adeildo da Igreja senta na Cadeira do prefeito Mano Medeiros (do dia 28 de outubro a 04 de novembro) que, por ter que viajar aos Estados Unidos, – para participar do workshop “Inovação social como um Caminho para a Equidade da Saúde”, representando o Município e, na cerimônia promovida pela Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde, foi receber a premiação atribuída a Jaboatão dos Guararapes, pela iniciativa intitulada “Todos os Artistas Devem Estar onde Está a Gente – Estratégia de Vacinação Extramural para a População sem Casa”, conforme o Termo de Transmissão de cargo.

Ora, isso só veio reacender o sonho do referido vereador, em ser um dia prefeito da cidade em que nasceu. O lado bom é que tem ele a honrosa atribuição de comandar o segundo Município mais importante do Estado, depois da Capital. O lado ruim é que o “gostinho” vai durar muito pouco. Mas, se para os críticos, Adeildo (que não seria mais de confiança do Grupo político dos Ferreira), só substitui o prefeito interinamente, porque é o último, na linha de substituição legal (Mano não tem vice, já que é substituto de Anderson Ferreira, o qual renunciou para candidatar-se ao Governo do Estado), não haveria como evitar que o presidente da Câmara seja prefeito por oito dias.

Bem, o fato é que, afora qualquer coisa e queiram ou não queiram os “inimigos” de Adeildo, este será prefeito do Jaboatão. Alguns estão a dizer maldosamente que, “ele hoje não dorme”. Como dizem petistas e bolsonaristas, “o choro é livre”, não é, senhor Adeildo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá