Blog Luis Machado

Notícias

SILVIO COSTA DIZ QUE PREFEITO DE JABOATÃO “JÁ ESTÁ ELEITO”. ESTÁ BLEFANDO?

Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

Ex-deputado federal, Silvio Costa (Republicano), pré-candidato a prefeito de Jaboatão dos Guararapes, preconiza a formação de uma “Frente Democrática”, para derrotar o atual gestor, Anderson Ferreira (PL). Sustenta que já são mais de 200 pré-candidatos a vereador e que já conversou com líderes dos partidos que compõem o “Movimento Nacional pela Democracia”. Diz que pretende polarizar o debate entre quem é e quem não é bolsonarista. Entende que é preciso nacionalizar o debate, ainda no primeiro turno.

Sílvio notabilizou-se, como fiel escudeiro da ex-presidente Dilma Rousselff, por ocasião do impeachment dela e agora pretende “resgatar” Jaboatão das mãos desse prefeito que, segundo ele, “governa apenas para os ricos”.

Curioso, entretanto é que, malgrado Silvio Costa hoje desmereça a gestão de Anderson, apesar disso, circula em Jaboatão um áudio gravado pelo ex-deputado e que “vazou”, no qual parabeniza o Prefeito, pela outorga de prêmio concedido pela Organização das Nações Unidas – ONU – a Jaboatão, cuja entrega foi feita nesta terça-feira (23). No áudio ele diz já está o Prefeito eleito, tamanha é a importância do prêmio que só Jaboatão dos Guararapes recebeu. A precitada distinção fora concedida sob a rubrica de Excelência em Gestão Pública. O município concorreu com o programa Jaboatão Prepara e foi o único da América Latina dentre os sete vencedores em todo o mundo. Jaboatão é agraciado pela ONU, pelo segundo ano consecutivo. A divulgação foi feita durante reunião realizada por teleconferência transmitida da sede da ONU, em Nova Iorque, (vide foto). Ora, se Anderson Ferreira já está reeleito… Então, ser bolsonarista, não é coisa tão ruim, assim. Sílvio Costa não é pré-candidato. ESTÁ BLEFANDO. Convenhamos!

O prefeito Anderson Ferreira comemorou o prêmio no centro administrativo da prefeitura. (Foto: Chico Bezerra/PJG.)

PARTIDO VERDE: SÓ SERVE PARA ALUGUEL?

Não é segredo pra ninguém que, crítica aos pequenos partidos políticos – aqueles com pouca ou nenhuma representatividade no Congresso Nacional, é o que não falta, sendo um prato cheio aos críticos de tais legendas. As objeções que se faz acerca da existência dos mesmos é que, via de regra, servem apenas para funcionar em benefício de seus dirigentes que, visando benefícios, barganham como verdadeiras moedas de troca, na forma de compensação, junto aos chamados partidos grandes – aqueles que, em seus quadros apresentam número expressivo de representantes, tanto na Câmara como no Senado Federal.

As formas de compensação mais conhecidas, são a cessão do espaço de tempo que, por lei lhes é concedido para uso em campanhas eleitorais e jingles institucionais, bem como quando da formação de “coalizão” de governança, junto àqueles que, uma vez eleitos, são aquinhoados com cargos ou funções administrativas, os chamados cargos de confiança.

Exemplo disso se verifica, quando uma sigla como o PARTIDO VERDE anuncia, como foi o caso (através de seu presidente, Jorge Carreiro), nesta sexta-feira (26) o apoio da legenda citada à “Frente Popular”, que na eleição para Prefeito do Recife, tem como pré-candidato o deputado federal João Campos (PSB). A decisão foi confirmada durante reunião do presidente da sigla em Pernambuco, Jorge Carreiro, e João Campos.

Ora, o que pretende esse Partido que, sem expressão suficiente a lançar candidato próprio, apoia o nome de um jovem ainda inexperiente que, se inicia na vida pública, estando em seu primeiro mandato, senão barganhar cargos? Difícil é imaginar que já não faça parte da chamada “base do Governo”, tanto na Prefeitura do Recife, quanto no Governo do Estado. Daí vem a pergunta que não quer calar: O PARTIDO VERDE SERVE APENAS PARA ALUGUEL?

 (João Campos e o presidente estadual do PV, Jorge Carreiro. Foto: Divulgação)

VENDEDOR SEM UMA DAS MÃOS É HUMILHADO POR ATRASO DE PEDIDO E COMOVE, PELA INTERNET

 (Foto: Reprodução/Facebook)

Tenho dito que, dessa Pandemia ou se sai melhor ou se sai pior. Sair pior é não guardar o respeito à pessoa do semelhante, especialmente num momento como este, no qual todos vivemos uma experiência jamais ocorrida na história da humanidade. Sob alguns contornos, nem mesmo nas grandes guerras de amplitude mundial se experimentou situações pontuais como agora, nessa Pandemia, em que todos, sem exceção e de alguma maneira sofreram ou sofrerão as consequências.

Pois muito bem. O fato é que, um vendedor de salgados comoveu a internet ao publicar um desabafo após ter sido humilhado por um cliente. José Rafael Marciano, de 32 anos, morador de Marília-São Paulo é deficiente físico, só tem uma das mãos.

Ele contou que o cliente reclamou porque havia demorado ‘um pouco’ a produzir os salgados, mas que tinha feito com ‘o maior carinho.

O bom da história é que, diante da comoção dos internautas, o rapaz humilhado acabou ganhado a título de doação, nada menos que R$ 100 mil Reais. O ruim da história é que, malgrado o valor recebido pela generosa atitude de muitos, as feridas ficaram. Que sejam cicatrizadas, o quanto antes. Tomara!

RAPIDÍSSIMAS

  • Qual seria mesmo a razão de pessoas que, mesmo sabendo não terem a menor condição de elegerem-se, disputam cargos eletivos até por mais de uma vez. Vaidade? Atração pelo “glamour” do poder?

  • Tenho observado que alguns internautas auto-denominados de direita discriminam pessoas outras, por conta da preferência ideológica delas, pelo comunismo, como se os comunistas fossem um gênero de pessoas de outra galáxia. Minha pergunta é: Na hora de uma necessidade extrema, qual a atitude mais louvável: A atitude do direitista que não ajudou ou do comunista que ajudou? Ora, cá pra nós: Se tem que haver discriminação cerrada, que haja. Mas contra o comunismo. Contra o comunista não. Até porque, em última instância, comunista é alguém que AINDA não deixou cair a ficha.

  • Fala-se tanto em democracia, a começar dos políticos. Minha pergunta é: O processo democrático para fazer jus ao nome, não deveria iniciar pela livre escolha de votar ou não?

  • Qual é mesmo a razão da pré-candidata a prefeita do Recife, Marília Arraes (PT) está poupando o primo João Campos (PSB), quando é entrevistada, já que ela diz que ele é um adversário político como qualquer outro?

  • Qual seria mesmo a razão de políticos do passado que foram tão bem avaliados, a ponto de ainda serem lembrados (como João Arraes e Roberto Magalhães) ter pendurado as chuteiras? Desilusão ou cansaço?

  • Uma coisa intrigante, é o silêncio gritante, do senador Jarbas Vasconcelos (MDB). Quer dizer que ele ocupa o lugar de quem poderia está colaborando em meio a essa mais que conturbada cena política brasileira? Quem te viu, quem te vê, oh senador do “não às diretas já”!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Olá