RAZÃO PELA QUAL OS CRISTÃOS NÃO DEVEM VOTAR EM MARÍLIA ARRAES OU EM JOÃO CAMPOS

~

Política e Cristianismo são compatíveis? – Conexão Política

Já que a busca frenética, pelo voto do mundo cristão, nesta campanha, por parte dos candidatos a prefeito do Recife só tende a crescer, até o próximo domingo, ousamos trazer à baila, a presente temática de altíssima indagação, qual seja, votar ou não, nos candidatos João Campos ou Marília Arraes. E neste passo se nos parece bom dizer logo, de saída que, nos referimos aos eleitores cristãos e por motivos óbvios, senão, vejamos.

Preconizam todos os institutos e compêndios de inspiração constitucional que, no Brasil o Estado é laico e, como tal, matérias de ordem secular não devem misturar-se ou confundir-se com aquelas atinentes ao Estado. Isso é verdade e quanto a isso não se discute.

Só que, quando o eleitor cristão que professa sua fé e a tem como âncora e razão de viver o Evangelho de Jesus Cristo, aí os postulados alheios ao cristianismo ficam em segundo plano ou sem plano algum. Isso porque a Palavra de Deus está acima de qualquer circunstância ou ideologia. Até porque, teologicamente falando A Palavra é o próprio Deus, vez que no princípio, palavra era o Verbo e o Verbo era Deus, etc, etc, etc.

Ora, se os candidatos acima citados rezam na cartilha das siglas (PSB e PT) que, por sua vez aceitam e até de certa forma fomentam o fortalecimento de plataformas ideológicas como a ideologia de gênero e o aborto (só para citar alguns), não é razoável que se possa transigir saindo do “quente ou frio” para o “morno”, sob pena de se “jogar pedra na cruz”, indo na contramão da Bíblia Sagrada. Mas isso, repito, é sob o prisma ou ponto de vista cristão. Sob o ponto de vista cidadão, aí desaparece o cerne da presente reflexão, já que, sob a égide da cidadania, todos são iguais perante a lei, em direitos e deveres. Fora dos princípios cristãos, entretanto, penso que os “fiéis” têm o direito-dever de votar em qualquer um dos dois e de acordo com a consciência de cada um. Ou seja, enquanto cidadão, voto livre e obrigatório. Enquanto cristão, voto nulo, em branco ou abstenção. Ponto.

Comento, argumento. Só não invento!

WhatsApp do editor do Blog Luís Machado: (81) 98732.5244.

Blog - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Deixe um comentário

Posts Recentes